O técnico João Brigatti buscou, durante entrevista pós jogo, juntar os cacos da derrota por 1 a 0 para o Remo, no clássico de domingo, que atrapalhou as pretensões do Paysandu de garantir o acesso à Série B do Brasileiro com uma rodada de antecedência. De acordo com o treinador, é assimilar o golpe e já pensar no Ypiranga-RS, adversário fora de casa, última oportunidade para o Papão conseguir o retorno à Segundona da temporada.

– Não é fácil perder para o maior rival, um clássico tão importante como esse, que valia acesso pra nós. Tem que ter a cabeça no lugar nesse momento, ainda não estamos fora da competição. Ainda só depende de nós. Vamos nos recolher à situação desagradável que aconteceu dentro da partida, estudar bastante, ver o que aconteceu de ruim. Foram coisas boas também, tem que olhar por esse lado. A partir de amanhã pensar no Ypiranga. É página virada.

É pedir desculpas para o nosso torcedor, não nos comportamos tão bem dentro da partida. É tentar, de alguma maneira, recuperar os jogadores de todas as formas pra ter um jogo convincente frente ao Ypiranga. Uma atitude, comportamento diferente que possamos conseguir o resultado positivo. É a única coisa que interessa.

Brigatti lamentou a postura Alviceleste, principalmente, no primeiro tempo. O comandante enumerou os defeitos do time na primeira parte do clássico.

– Acredito que o primeiro tempo foi totalmente irreconhecível. Nossa equipe não conseguia a posse de bola, domínio do jogo, trocar dois, três passes em sequência. Isso, lógico, atrapalha demais. Tomamos o gol em uma falta, rebote do nosso goleiro, a defesa estava desatenta. No segundo a equipe teve um volume de jogo maior, perdemos situação pra poder empatar e virar a partida.

O grande desafio de João Brigatti, agora, é trabalhar a parte emocional dos jogadores pensando no embate diante dos gaúchos. O jogo acontece no próximo sábado, a partir das 17h, em Erechim, interior do Rio Grande do Sul. Uma vitória garante o acesso ao Paysandu, enquanto que o empate serve desde que o Londrina não vença o Remo em Belém. A derrota, entretanto, tira a possibilidade de retorno do Lobo à Série B em 2021.

– Quando se perde um clássico tão importante como esse, da maneira que foi, valendo uma vaga de acesso e é derrotado, tem que trabalhar o emocional, virar a página. Isso é o que vamos fazer. Trabalhar bastante com os nossos atletas. Temos atletas experientes, inteligentes. Temos que ver durante a semana, conversar bastante. Ainda temos oportunidade de vencer o Ypiranga, mas temos que estar com a moral elevada, forte fisicamente pra sustentar um jogo que vai ser muito difícil.

O Paysandu é uma equipe guerreira. Os jogadores sentiram demais a derrota, como nós da comissão técnica, a diretoria. Temos que reunir forças durante a semana, trabalhar em cima disso. Tenho certeza que vamos conseguir o nosso objetivo, que é o acesso, mesmo sabendo que temos uma partida muito difícil pela frente.

Fonte: G1
Foto: Cristino Martins